quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

HISTÓRIA DO CARPACCIO


O carpaccio não é um prato assim tão antigo.

Foi criado sem a pretensão de ter o sucesso que alcançou, e sim, com finalidade medicinal!!

O local era Itália em 1950.

Em um bar de Veneza, o Harry’s Bar, uma cliente importante e amiga do dono, a condessa Amália Nani Moncenigo, explica que teria de se submeter a uma dieta rigorosa para curar uma séria anemia, e que seu médico a proibiu de comer carne assada ou cozida, que ela teria obrigatoriamente que comer o alimento cru.

Disse isso com certo nojo e repulsa de imaginar o gosto da carne crua.
 
Então seu amigo, Giuseppe Cipriani, foi até a cozinha e fatiou finamente uma peça de contra filé fresco, arrumou em um prato e colocou por cima um molho a base de limão, maionese, mostarda e outros ingredientes, o que além de dar sabor tira o aspecto de carne totalmente crua (a acides do limão "cozinha" a carne).

O prato que surgiu por acaso, para atender a uma necessidade médica, acabou ficando famoso e hoje é conhecido no mundo todo.

Mas de onde saiu o nome Carpaccio, se nenhum dos envolvidos na sua criação tinha esse nome?

Bem...Giuseppe Cipriani era admirador das artes e várias de suas criações receberam nomes de artistas consagrados, como os coquetéis Bellini e Tiziano.




No caso do carpaccio, ele quis homenagear o pintor Vittore Carpaccio (1465 – 1525/1526), que utilizava muito os tons vermelhos em suas obras o que remete ao tom vermelho da carne crua.


Aqui em um autorretrato de Vittore Carpaccio, fica nítida sua preferência pelo vermelho.




Atrás do pintor russo Wassily Kandinsky,
uma tela da série "Composition", a de número VIII



E até no modo de colocar o molho sobre as laminas de carne ele quis homenagear um artista, o pintor Wassily Kandinsky (1866 – 1944) que foi o precursor da arte abstrata.


O molho era colocado em riscos, formando como uma grade sobre as finíssimas fatias de carne.

Hoje em dia, existe uma variedade enorme da montagem deste prato, além de outra enorme variante de ingredientes. O carpaccio original é de carne, mas podemos encontrar os de peixe, de alguns tipos de legumes e até de frutas!

Parece que tudo que é cortado em laminas finas merece ser chamado de carpaccio.

Não estou reclamando não!..rs...Para mim está valendo do mesmo jeito..rs

E como adoro um prato de carpaccio (principalmente o original de carne) só tenho a agradecer ao Sr Cipriani, e parabeniza-lo pela maravilhosa iguaria...Uma pena que esse ser criativo não está mais entre nós.

*Sobre o Harry’s Bar, vale saber que ele é um empreendimento de sucesso, com clientes famosos de todas as parte do mundo, e sua história é muito interessante, não se restringindo as criações de seu fundador.*
Eu já sabia desta história, mas sem os detalhes de nomes e datas. Este site me ajudou: 
www.italiaoggi.com.br/gastronomia/saibamais/ita_gastro_saibamais26.htm




2 comentários:

  1. Gracias por acercarnos la historia del carpaccio, me ha resultado una lectura muy interesante y muy bien documentada. Besos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Alicia!! Em breve vou colocar a receita...ou melhor, como eu monto um prato de carpaccio..rsrs...para completar.
      Obrigada pela mensagem. beijos.

      Excluir

Quer comentar? Escreva aqui.