quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

PAVÊ CHOCORANGO (chocolate, creme e morango)


Outro dia eu estava com vontade de comer um pavê especial. 

Daí lembrei que eu tinha congelado umas fatias do PÃO DE LÓ DE CHOCOLATE (você pode ver a receita clicando AQUI, ou na aba de índice em “Receitas Doces”- Bolos).

Não tive dúvidas. Tirei do freezer para descongelar enquanto eu fazia o CREME PARA BOLO E PAVÊ (você pode ver a receita clicando AQUI, ou na aba de índice em “Receitas Doces”- Recheios e Coberturas).

E claro que precisava de um toque a mais e não ficar só bolo+creme. Olhei  na geladeira e vi um vidro com o MORANGO EM CALDA (você pode ver a receita clicando AQUI, ou na aba de índice em “Receitas Doces”- Doces).

Pronto! Decidido!

Assim que o creme esfriou, comecei a montar. E o resultado foi esse:

Ficou booommmm!



Ingredientes:

  • 12 fatias do pão de ló de chocolate
  • 1/2 receita do Creme para Bolo e pavê
  • 1/2 receita dos morangos em calda
  • 2 xícaras de chantilly

Calda fria para regar o bolo:
  • 3/4 xícara de água filtrada
  • 4 colheres de rum (ou alguma bebida de sua preferência) – opcional
  • 2 colheres de açúcar


Modo de preparo da calda:

Misture tudo até dissolver bem o açúcar e use para regar as fatias de bolo.


Montagem:

Se for montar em taças individuais, separe 6 taças grandes e para cada uma você vai usar 2 fatias de bolo (ou mais se preferir). Neste caso, para toda montagem, você terá que calcular a divisão dos ingredientes em 6 partes, para nenhum ficar com mais de uma coisa e menos de outra.

Mas também pode montar em uma travessa.

Forre o fundo da taça ou da travessa com pedaços de bolo e regue com um pouco da calda fria.

Coloque um pouco do creme, um pouco dos morangos em calda e novamente o creme.

Coloque novamente os pedaços do pão de ló, regue com a calda e vá repetindo as camadas até acabarem.

Para finalizar, cubra com chantilly e enfeite com alguns dos morangos em calda.

Leve a geladeira por 1 hora pelo menos, antes de servir.


Dicas:

  • Não congele, pois o creme irá soltar água e estragar a sua sobremesa.
  • Se quiser congelar, terá que substituir o amido de milho da receita por farinha de trigo, mas desta forma o creme não fica tão suave e lisinho.





sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

CARPACCIO


Esse prato italiano tem uma historia interessante, que você pode ver clicando aqui, ou na aba de índice em “Curiosidades”.

Como sabemos, o carpaccio tradicional é de carne crua, mas hoje em dia se faz praticamente de tudo, desde que fatiado em lâminas muito finas e arrumadas sobre um prato com molho por cima, pode ser de peixe, de legumes e até de frutas!

Antes de falar como eu preparei este, preciso avisar que compro o carpaccio pronto, quero dizer, a carne fatiada, já que é muito trabalhoso cortar as fatias em laminas muito finas sem um fatiador próprio para isso.

Até já tentei. Congelei uma peça de filé mignon e com ele ainda congelado "tentei" cortar as fatias o mais fino possível. Ficou horrível..rs...Além de um enorme trabalho, das fatias terem ficado cada uma de um tamanho e espessuras diferentes, eu quase congelei minha mão...rs.
Percebi que não vale a pena. Nos mercados encontramos em caixinhas o carpaccio de carne, que vem com as fatias separadas uma a uma...Infinitamente mais prático!
Mas se você quiser fazer em casa, já sabe: tem que ser uma carne macia, sem nervura e sem gordura, bem limpinha. É mais fácil cortar fatias finas se a carne estiver congelada e a faca tem que ser muito afiada.

Mas, como eu usei o comprado pronto, vou mostrar a montagem que gosto de fazer e o molho que preparo. Ah! Tem algumas marcas que já vem com um sachê de molho junto.

Vou dar as quantidades para montar 4 pratos (fiz porção individual e foi prato único naquele jantar..rs), mas não existem medidas exatas.


Ingredientes:

  • 1 caixa de carpaccio (a caixa tem 200 gr)
  • Folhas verdes a gosto (alface, rúcula)
  • 1/2 xícara de queijo parmesão ralado grosso

Para o molho:
  • 15 (mais ou menos) alcaparras bem picadas
  • 20 alcaparras para enfeitar
  • 1 limão espremido
  • 2 colheres cheias de molho de mostarda
  • Sal a gosto (mais ou menos 1 colher das de café)
  • Azeite de oliva a gosto (para usar a parte)


Modo de preparo do molho:

Pegue 15 alcaparras, ou mais, e pique bem miudinho, ou esmague com um garfo em uma tigela.

Acrescente o suco de limão e a mostarda.

Coloque o sal aos poucos, provando para não salgar demais, já que o molho de mostarda pode ter mais ou menos sal conforme a marca.

Reserve.

*Existem outros tipos de molho para carpaccio, mas esse é o que todos preferem aqui em casa.*

Montagem:

Pique as folhas verdes e espalhe a seu gosto, em 4 pratos rasos, para fazer uma “caminha” de folhas.
Por cima dessas folhas, arrume de 5 a 6 fatias de carpaccio em cada prato.



Jogue um pouco de molho (não demais) sobre as fatias de carne, e enfeite com as alcaparras inteiras.
Regue com azeite de oliva a gosto (mais ou menos 3 colheres por prato), e polvilhe o queijo parmesão ralado.
Sirva imediatamente, pois a acides do molho irá começar a cozinhar a carne e o carpaccio tem que ser servido fresco.

Acompanhe com fatias de pão ou torradas.

Dicas:

Se você quiser montar com antecedência, pode deixar na geladeira e só colocar o molho na hora de servir.

Se for usar como entrada (e servir outros pratos depois) pode fazer a porção individual usando 3 fatias de carpaccio. Ou monte uma travessa grande só com a carne, outra com as folhas e uma molheira, para as pessoas se servirem a vontade.

Você também pode montar canapés cortando pão de forma em quadrados, colocando um pedaço de carpaccio (corte cada fatia de carne em 4), um pingo do molho e uma pitada do parmesão ralado (ou corte uma lasca do queijo e arrume por cima).

Lembrando que essas porções que eu montei são individuais, serviu 4 pessoas, mas o nosso jantar foi só isso também!..rs...E todos ficamos satisfeitos.






quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

HISTÓRIA DO CARPACCIO


O carpaccio não é um prato assim tão antigo.

Foi criado sem a pretensão de ter o sucesso que alcançou, e sim, com finalidade medicinal!!

O local era Itália em 1950.

Em um bar de Veneza, o Harry’s Bar, uma cliente importante e amiga do dono, a condessa Amália Nani Moncenigo, explica que teria de se submeter a uma dieta rigorosa para curar uma séria anemia, e que seu médico a proibiu de comer carne assada ou cozida, que ela teria obrigatoriamente que comer o alimento cru.

Disse isso com certo nojo e repulsa de imaginar o gosto da carne crua.
 
Então seu amigo, Giuseppe Cipriani, foi até a cozinha e fatiou finamente uma peça de contra filé fresco, arrumou em um prato e colocou por cima um molho a base de limão, maionese, mostarda e outros ingredientes, o que além de dar sabor tira o aspecto de carne totalmente crua (a acides do limão "cozinha" a carne).

O prato que surgiu por acaso, para atender a uma necessidade médica, acabou ficando famoso e hoje é conhecido no mundo todo.

Mas de onde saiu o nome Carpaccio, se nenhum dos envolvidos na sua criação tinha esse nome?

Bem...Giuseppe Cipriani era admirador das artes e várias de suas criações receberam nomes de artistas consagrados, como os coquetéis Bellini e Tiziano.




No caso do carpaccio, ele quis homenagear o pintor Vittore Carpaccio (1465 – 1525/1526), que utilizava muito os tons vermelhos em suas obras o que remete ao tom vermelho da carne crua.


Aqui em um autorretrato de Vittore Carpaccio, fica nítida sua preferência pelo vermelho.




Atrás do pintor russo Wassily Kandinsky,
uma tela da série "Composition", a de número VIII



E até no modo de colocar o molho sobre as laminas de carne ele quis homenagear um artista, o pintor Wassily Kandinsky (1866 – 1944) que foi o precursor da arte abstrata.


O molho era colocado em riscos, formando como uma grade sobre as finíssimas fatias de carne.

Hoje em dia, existe uma variedade enorme da montagem deste prato, além de outra enorme variante de ingredientes. O carpaccio original é de carne, mas podemos encontrar os de peixe, de alguns tipos de legumes e até de frutas!

Parece que tudo que é cortado em laminas finas merece ser chamado de carpaccio.

Não estou reclamando não!..rs...Para mim está valendo do mesmo jeito..rs

E como adoro um prato de carpaccio (principalmente o original de carne) só tenho a agradecer ao Sr Cipriani, e parabeniza-lo pela maravilhosa iguaria...Uma pena que esse ser criativo não está mais entre nós.

*Sobre o Harry’s Bar, vale saber que ele é um empreendimento de sucesso, com clientes famosos de todas as parte do mundo, e sua história é muito interessante, não se restringindo as criações de seu fundador.*
Eu já sabia desta história, mas sem os detalhes de nomes e datas. Este site me ajudou: 
www.italiaoggi.com.br/gastronomia/saibamais/ita_gastro_saibamais26.htm




terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

PEIXE COM LEGUMES


Aqui em casa adoramos peixe, e sempre que posso preparo filés de Saint Peter, pelo sabor dele e por não ter aqueles espinhos pequeninos e que incomodam tanto.

Você não conhece o Saint Peter? Eu acho que conhece sim..rs...é que esse é o nome “esnobe” que deram para valorizar o linguado.  ;-)

Mas você pode usar o peixe que preferir, só que esta minha sugestão foi feita com Saint Peter (linguado, se preferir..rs).

Este eu preparei de uma maneira bem simples, com alguns legumes que tinha a mão, mas você pode preparar com os da sua preferência.


Ingredientes:

  • 4 a 5 Filés de Saint Peter
  • Sal a gosto
  • Azeite de oliva a gosto


Para o refogado:

  • 1 xícara de ervilhas frescas
  • 1 cenoura média fatiada
  • 4 cogumelos tipo shitake fatiados
  • 3 colheres de alho poró picado
  • sal a gosto
  • azeite para refogar
  • pimenta, ervas a gosto


Modo de preparo:

Temperar os filés de peixe a seu gosto. Eu prefiro usar somente sal, jogando com o saleiro para não salgar demais (Vale ressaltar mais uma vez o que já escrevi em outras postagens, que eu não uso muito sal porque meu marido tem problemas de pressão alta).

Unto uma assadeira antiaderente com azeite e arrumo os filés, jogando mais azeite por cima deles.

Levo para assar em torno de 30 minutos em forno quente (depende muito da potência do forno, se o seu for dos mais fortes, deixe menos tempo para não secar muito), as vezes o peixe solta um pouco de líquido, mas acaba secando.

Enquanto os filés de peixe assam, prepare o refogado de legumes.

Em uma frigideira grande, coloque um pouco de azeite e refogue a cenoura, tempere a gosto com sal ou um caldo granulado a seu gosto (se preferir que elas fiquem bem macias, coloque 1/2 xícara de água e deixe cozinhar até secar).

Junte o alho poró e refogue mais um pouco. Depois coloque os cogumelos em pedaços não muito pequenos e as ervilhas.

Acerte o sal, se quiser pode colocar uma pitada de ervas de Provença, ou pimenta do reino.

Jogue por cima dos filés quando estes estiverem prontos...E pode servir!





sábado, 15 de fevereiro de 2014

SALADA DE REPOLHO CROCANTE


Saladas são sempre muito bem vindas em qualquer estação do ano, mas sempre se imagina comer folhas frescas ( que geralmente são de alface ou rúcula ) nos dias quentes de verão e que o repolho só serve para ser preparado cozido ou como refogado.

Puro preconceito!

Aqui mostro para vocês uma salada super crocante e fresca, que serve para qualquer estação do ano.


Ingredientes:

  • 3 xícaras de repolho picado ( usei o verde mas o roxo também é muito bom )
  • 1 tomate picado sem as sementes 
  • 1 xícara de uvas sem sementes ( se for usar uvas que tenham sementes, é melhor partir ao meio para retirá-las )
  • 1/2 xícara de salsa picada
  • 1/2 xícara de alho porró picado
  • 1/3 de xícara de sementes de girassol torradas ( pode substituir por nozes, amendoim, castanha de caju, desde que estejam torradas )

Tempere a seu gosto. Aqui tem a minha sugestão de como eu temperei esta salada de repolho crocante:
  • 4 colheres de sopa de azeite de oliva
  • 1 ou 2 colheres de sopa de vinagre de maçã ( pode ser outro vinagre ou limão )
  • 1 colher de chá de ervas de Provença ( eu uso a desidratada que pode ser comprada em supermercados )
  • Sal a gosto



Modo de preparo:

Lave todos os ingredientes e pique. O repolho pode ser mais fininho ou mais grosso, dependendo da sua preferência.

Junte todos os ingredientes em uma saladeira e se quiser, pode temperar direto pois o repolho é muito resistente e não irá murchar até a hora de ser servido.



terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

SALADA DE FRUTAS


Salada de frutas é mais um daqueles pratos que não necessitam de receita ou medidas, basta o bom senso e conhecer um pouco as frutas.

Também é bom saber que é difícil fazer uma salada de frutas para poucas pessoas, ou em pouca quantidade, já que são necessários vários tipos de frutas, quando você vê já tem uma tigela cheia.

Aqui vão algumas dicas:

Podemos usar praticamente todas as frutas, mas o ideal são as que têm textura mais firme, assim a salada fica com a aparência bonita por mais tempo.

As frutas mais comuns são: Maçã, Abacaxi, Laranja, Pera, Melão, Mamão, Banana, Morango, Uva (de preferência sem sementes), Kiwi.

Se for colocar laranja em pedaços, você tem que descascar e retirar a parte branca pois ela deixa um gosto amargo.

Frutas como pêssego, nectarina, figo, abacate podem ser usadas desde que sejam colocadas quase na hora de servir, pois tem a textura mais mole, deliciada e desmancham com facilidade.

Cuidado ao picar as maçãs e peras, pois são frutas que escurecem rápido, sendo assim, o ideal é preparar um suco de laranja e colocar na tigela antes de começar a cortar as frutas.

No caso das bananas, dê preferência à banana tipo prata, pois a banana nanica (sei que no Sul do Brasil esta é conhecida por “caturra”) é muito mais mole quando madura e fica com aparência ruim logo depois de cortada.

Só para ilustrar, vou falar como fiz essa salada da foto, quais frutas usei e a quantidade:

Ingredientes:

  • 1 litro de suco de laranjas
  • 1 maçã vermelha
  • 1 maçã verde
  • 2 nectarinas
  • 4 bananas tipo prata
  • 1 mamão papaia grande
  • 1 manga grande
  • 3 kiwis
  • 2 xícaras de uvas sem sementes


Modo de fazer:

Coloque o suco de laranja em uma tigela grande. Pique as frutas do tamanho que mais lhe agradar.

Lembre-se que no caso do mamão, da manga e da banana, se os pedaços forem muito pequenos eles irão desmanchar e virar um “creme” quando você for mexer para misturar as frutas.


Não é necessário colocar açúcar, mas caso você queira adoçar, pode diminuir o volume de suco de laranja, pois em contato com o açúcar, as frutas soltam caldo. Há pessoas que colocam refrigerante (guaraná ou soda limonada) para aumentar o caldo, eu particularmente não gosto e acho que fica muito doce e artificial.