sábado, 31 de agosto de 2013

MOLHO PESTO (manjericão)


Anos atrás, em uma feira de maquinas para o setor alimentício, conversando com um dos representantes de uma fábrica de fornos para pizza, que veio da Itália (e falava um pouco de português...ufa..rs), ele me passou uma receita de molho pesto, que até então eu não conhecia.

Me garantiu que era a tradicional, legítima, antiga...Pois hoje em dia fazem pesto de várias coisas, como rúcula ou agrião.

A receita dele tinha, além do manjericão, alho, sal, azeite, pinolis e queijo pecorino (que até onde sei, é de leite de cabra) e era feito macerado em pilão.

Eu acabei fazendo umas adaptações que não comprometem, no sabor e nem na textura do molho, pois os pinolis são sementes pouco conhecidas e mais caras, talvez por isso a venda seja menor, e quando comprei eles estavam um pouco rançosos, velhos. Já o pecorino, além de difícil de achar, também é um queijo mais caro por ser de leite de cabra.

Como esses ingredientes podem ser substituídos, respectivamente por nozes e queijo parmesão, fica mais fácil fazer com frequência.

Algumas pessoas batem no liquidificador, com um pouco de água, o que deixa o molho bem fino de cor mais clara e as vezes mais ralo, mas não menos gostoso.

E aqui em casa faço no multiprocessador, pois preferimos que ele fique com os pedacinhos aparecendo, e sempre tenho um pote congelado e outro na geladeira, pois usamos muito.

O prato mais comum é o de macarrão ao pesto. Vai bem com qualquer tipo de massa, mas também misturado no arroz ou até como “patê” para comer com torradas.

Esta é uma daquelas receitas que se faz sem medidas, mas para quem nunca fez é bom ter uma referencia de quantidades, ao menos aproximadas para não sobressair o gosto de um ou outro ingrediente, por isso vou tentar passar mais ou menos como eu faço.


Ingredientes:

  • 2 xícaras de folhas de manjericão
  • 1 dente de alho
  • 1 xícara de nozes (as vezes, também faço com castanhas do pará)
  • 3/4 xícara de queijo parmesão ralado (compre um pedaço de queijo ou peça para ralar na hora. Não use daqueles pacotinhos, pois aquilo tem mistura com farinha de mandioca)
  • Azeite de oliva (pode usar uma parte de óleo de soja, mas o azeite tem que ser em maior quantidade)
  • Sal a gosto


Modo de preparo:

Como já disse, você pode preparar amassando todos os ingredientes em um pilão, pode bater no liquidificador (mas neste caso, é bom colocar um pouco de água para bater melhor e não precisar usar óleo demais) ou no multiprocessador com a peça “faca”.

É só colocar todos os ingredientes no copo do aparelho e bater até ficar homogêneo.

Aconselho a colocar o sal só depois que bater e provar, pois existem queijos mais salgados, e assim você não corre o risco de ficar com um pesto muito salgado.




quinta-feira, 29 de agosto de 2013

SALADA DE RÚCULA, TOMATE E MOZZARELA DE BÚFALA E SEMENTE DE GIRASSOL


Salada é um prato que, parece permitir todo tipo de mistura, certo?

Não é a toa que as pessoas, quando querem dizer que uma coisa está muito misturada e até bagunçada, falam que “é uma salada”.

Mas existem combinações que parecem nascer perfeitas. É assim com a rúcula, tomate e mozzarela de búfala. Mais ainda se o tomate for seco.

Nesta, dei meu toque com as sementes de girassol torradas.

Como já comentei aqui (em algumas postagens, que agora não lembro quais), pelo meu marido ter problemas de pressão alta, eu uso pouco sal e em alguns pratos não coloco nada, como no caso desta salada.

Nós percebemos que as sementes de girassol torradas, dão um sabor especial, e fica fácil abrir mão do sal.

Eu vou falar como faço, mas você pode temperar como desejar e gostar.

Quanto as medidas, não são exatas, vou tentar dar uma quantidade aproximada, mas você pode usar mais ou menos de cada ingrediente conforme lhe agradar.


Ingredientes:


  • 1 tomate sem sementes, picado em cubos
  • 50 g de mozzarela de búfala picada em cubos
  • 1 maço pequeno de rúcula picado
  • Salsa picada a gosto
  • 2 colheres de sopa de semente de girassol torrada sem sal
  • 3 colheres de sopa de azeite de oliva
  • 2 colheres de sopa de vinagre de maça


Modo de preparo:


Misture todos os ingredientes em uma tigela funda e sirva.

**Sobre a semente de girassol: É provável que algumas pessoas só conheçam a semente de girassol com casaca, como comida para pássaros.

Mas ela existe para consumo humano, vendida descascada crua ou torrada com sal (que é uma delícia).

Eu compro a crua e torro em uma frigideira, sem sal, na hora de usar.

Sei que tem uma função nutricional boa, mas por hora, nesta postagem,  eu fico só com a informação que ela é muito saborosa e dá um toque especial em qualquer salada.




sexta-feira, 23 de agosto de 2013

MERENGUE DE MORANGO E UVA (caseiro)



Esta sobremesa é muito comum feita com suspiros industrializados, e é claro, assim também é muito mais fácil...mas com o suspiro ou merengue feitos em casa, o gosto e textura são especiais.

Se for fazer com os industrializados, você terá que montar as camadas em uma tigela ou em taças, e servir como um pavê.

Já o feito em casa, você pode fazer e servir como se fosse um bolo, só não dá para cortar fatias como bolo..rs...pois ele quebra muito e desmancha, já que fica com uma casquinha seca e por dentro mole como pudim de claras.

É uma delícia!


Ingredientes do suspiro:


  • 6 claras
  • 3 xícaras de açúcar
  • 1 colher de raspas de limão (opcional)


Modo de fazer:


Bata as claras em ponto de neve, coloque as raspas de limão, e então vá acrescentando o açúcar aos poucos, as colheradas.

Use uma assadeira com antiaderente, e pode untar com um pouco de manteiga, que também dará certo, mas o ideal é usar um pedaço de “papel manteiga”, mesmo que a assadeira seja antiaderente. 

Eu fiz sem o papel e tive que esperar esfriar bem antes de tirar para fazer a segunda parte...com o papel, você pode tirar na hora.

Separe metade do suspiro, arrumando na assadeira como um circulo.

Coloque para assar em forno baixo, de 150° a 180°, por mais ou menos 25 minutos, até começar a ficar corado.

Ele vai crescer e esparramar um pouco. Vai formar uma “casquinha” e por dentro vai ficar mais molinho (isso que é gostoso dos suspiros ou merengues feitos em casa).

Faça o mesmo processo com a outra metade do creme.


Para o recheio:


Eu usei duas caixinhas de creme de leite para chantilly. Se preferir, pode comprar o chantilly pronto (mais ou menos 500ml) e usar a quantidade do seu gosto.

A fruta mais comum para essa sobremesa é o morango, mas dá para fazer com abacaxi, pêssegos em calda, uvas sem sementes, ou com mais de um tipo como foi o que fiz.

Usei morangos e uvas a gosto. Separe alguns para enfeitar.


Montagem:


Coloque no prato que irá servir um dos círculos de suspiro que já devem estar bem frios.

Coloque o creme chantilly e vá dispondo as frutas (os morangos podem estar picados ou inteiros) afundando as mesmas no creme.

Coloque por cima o outro círculo de suspiro e enfeite a gosto, tanto em cima do doce como na parte do recheio que fica aparecendo.

Sirva gelado.




SOPA DE MANDIOQUINHA


Não sabe o que é mandioquinha?

Pode ser que você conheça por outro nome. Eu sei que, aqui no Brasil, ela tem pelo menos mais dois outros nomes: Batata baroa ou só baroa, e cenoura branca.




Aqui temos a foto de uma mandioquinha, ou seja lá qual for o nome que você conhece..rs

Uns anos atrás, um chef de cozinha popularizou o seu uso com um prato que tinha purê de mandioquinha, pois até então ela era conhecida só como “legume para papinha de bebê”. Os adultos raramente comiam.

Minha mãe sempre preparava mandioquinha frita, fatiada fininha, tipo chips que era simplesmente ma-ra-vi-lho-sa, e apesar de ela sempre variar o uso dos ingredientes, só percebeu as possibilidades de uso da mandioquinha, depois da apresentação deste chef.

Ainda me surpreendo com algumas pessoas que dizem “nunca ter comido mandioquinha” e quando provam alguma receita preparada com ela, seja um pão, o purê ou esta sopa de mandioquinha, acabam se apaixonando pelo seu sabor levemente adocicado.

Para preparar a sopa de mandioquinha, não existem medidas exatas. Posso dizer que, mais ou menos 1 kg de mandioquinha prepara uma sopa suficiente para 4 pessoas. Vou passar aqui como eu faço, mas com medidas aproximadas, ok?


Ingredientes:

  • Mandioquinha (+/- 1 kg)
  • Água
  • Alho a gosto (mais ou menos 1 dente)
  • 1 tablete de caldo (galinha ou legumes, o de carne escurece muito)
  • Sal


Modo de preparo:



Raspe a casca da mandioquinha, pois ela é bem fininha e se for descascar você irá perder muito.

Coloque em uma panela (na de pressão será mais rápido) com água suficiente para cobrir e leve ao fogo até ficarem bem cozidas. Pode colocar inteira ou picada. Se for na pressão, deixe cozinhar por uns 5 a 10 minutos depois que começar a chiar.

É um legume que cozinha rápido e desmancha sozinho, mas você pode ajudar esmagando com um garfo ou colher, com o espremedor de batatas, com um mixer direto na panela ou no liquidificador.

*Dica: Se usar o mixer ou o liquidificador, não bata por muito tempo. Assim como a batata a mandioquinha quando batida por muito tempo, fica “puxenta”, com a textura grudenta. Por isso repito: Bata rapidamente no liquidificador ou com o mixer.*

Se ficar muito grosso, coloque um pouco mais de água, o alho espremido (que pode ser frito) e o caldo. 

Leve para ferver novamente até dissolver o caldo e então acerte o sal a seu gosto e estará pronto.

Se quiser servir sua sopa de mandioquinha com queijo ralado, pode ter certeza que combina muito.




quarta-feira, 14 de agosto de 2013

MORANGOS EM CALDA


Para aproveitar a época dos morangos, quando eles ficam melhores, mais bonitos e mais baratos...e se você comprar várias caixas, talvez não consiga consumir tudo antes que eles comecem a estragar, então, uma boa sugestão é fazer os morangos em calda.

Ok...Quando você for consumir, não serão morangos frescos, mas você pode ter um belo e delicioso doce para rechear bolos, pavês, colocar sobre Cream Cheese, tortas ou comer com queijo, sorvete, bolachas.

Nesta época do ano, eu sempre preparo este doce e guardo na geladeira em vidros esterilizados. A durabilidade é de vários meses, mas aqui em casa não dura muito..rsrs.

Fica uma delícia!


Ingredientes:

  • 1 kg de morangos
  • 400 g de açúcar
  • Caldo de limão (1 limão)


Modo de preparo:


Lave os morangos e tire as folhas verdes e cabinhos e coloque junto com o açúcar em uma panela alta, para quando ferver, não ter perigo de esparramar, pois no começo vai espumar.

*Veja a dica sobre panelas clicando AQUI, ou na barra de índice em "Dicas".

Mexa com uma colher de pau ou espátula até os morangos soltarem água (é rápido), para não deixar o açúcar caramelizar e grudar no fundo da panela, mesmo porque isso muda o sabor do doce.

Como forma uma espuma esbranquiçada, aconselho a tirar o excesso durante a fervura. Esse segredinho foi minha avó quem ensinou, e serve para deixar o doce com uma cor mais bonita e brilhante.

Após 15 minutos, acrescente o caldo do limão. Ele é importante não só para dar sabor, mas pelo ácido cítrico que funciona como conservante.

Após uns 30 minutos de fervura (contados a partir do momento que a fervura levanta, ok?), o doce estará pronto. Se deixar muito tempo ele fica seco.

Os morangos ficarão inteiros e a calda bem espessa.

Se você prefere a consistência de geleia, então pique bem os morangos antes de tudo, e durante o processo mexa algumas vezes.

Para esterilizar os vidros, clique AQUI ou veja na aba de índice em “Dicas”.

Pode colocar o doce ainda quente nos vidros, pois isso ajuda a formar vácuo. Sabe quando o vidro ainda não foi aberto e está com a tampa “afundada”? E quando abrimos faz aquele “POF” e a tampa levanta? Isso é por que o produto estava com um vácuo, que ajuda na conservação.

Se bem envasado e conservado, você nem precisará deixar na geladeira, que a durabilidade será longa...Isso se não for consumido logo depois de pronto..rs.


COMO ESTERILIZAR VIDROS PARA CONSERVAS


Um grande problema com a durabilidade de certos preparados caseiros, sejam doces ou salgados, que são guardados em vidros tampados, é a limpeza ou esterilização destes vidros.

Antes de guardar alguma coisa em um vidro com tampa ( por exemplo, uma geleia ou MORANGOS EM CALDA que você preparou ), você tem que esterilizá-los para eliminar qualquer tipo de contaminação por bactérias ou organismos que podem se desenvolver e estragar o alimento muito mais rápido.

Então, como esterilizar vidros para conservas?

Siga os seguintes passos:

  • Lave bem os vidros e as tampas, com água e detergente. Enxágue.
  • Coloque os vidros e as tampas em uma panela grande com água ( água dentro dos vidros também ) e leve ao fogo.
  • Deixe ferver por uns 10 minutos.
  • Apague o fogo e com a ajuda de uma pinça, tipo pegador de salada ou macarrão, retire a água dos vidros, com eles ainda quentes. Cuidado para não se queimar! O calor fara com que a água escorra e evapore rápido.
  • NÃO USE PANO PARA SECAR. Por mais limpo que o pano esteja, pode sempre ficar alguma contaminação.
  • Para finalizar, o ideal é colocar dentro dos vidros um pouco de álcool de cereais ( o mesmo usado para preparar licores ou perfumes, pois este pode ser ingerido ), tampar e mexer o vidro de forma que o álcool termine a esterilização.
  • Se não for usar os vidros imediatamente, poderá guarda-los assim e jogar o álcool fora na hora que precisar.
  • Não use álcool comum, pois ele é tóxico e não pode ser ingerido, ao contrário do álcool de cereais (que você pode encontrar em casas de produtos naturais ou até em farmácias ).
  • Fica muito melhor se você finalizar com o álcool de cereais, mas se você não tiver e precisar usar os vidros imediatamente, melhor finalizar o processo logo depois que ferver os vidros e a água escorrer.
  • Vale lembrar que as mãos também devem estar sempre muito limpas para fazer a manipulação de conservas.


terça-feira, 13 de agosto de 2013

QUIBE - QUIBE ASSADO – QUIBE ASSADO RECHEADO


Esta receita de quibe (ou kibe, como algumas pessoas escrevem e imagino que seja o mais certo, por se aproximar mais do árabe), eu vi em um programa de TV, muitos anos atrás.

Quem passou esta receita foi o mesmo rapaz, professor de culinária que eu me referi na postagem da SALADA DE TRIGO (que você pode ver clicando AQUI, ou na barra de índice em “Receitas Salgadas”).

Como eu disse lá, quase todo mundo tem uma receita de quibe (ou Kibe..rs), com seu tempero próprio, que no final das contas é o que dá o verdadeiro diferencial, mas a receita dele foi interessante pela maneira como ele hidratava o trigo.

Adaptei ao meu gosto e da minha família e prefiro fazer assado porque, apesar de amar uma fritura, tenho que abrir mão delas pela saúde. Mas você pode modelar os quibes e fritar.

Caso queira congelar, eu aconselho a congelar já pronto, assado ou frito. Principalmente se for frito! A minha experiência de modelar, congelar e fritar depois, não foi muito boa, pois ele estourava e desmanchava um pouco no óleo quente. Mas como eu disse, é só um conselho.


Ingredientes:

  • 500 g de trigo (veja como hidratar na postagem da SALADA DE TRIGO, clicando AQUI).
  • 500 g de carne moída
  • 1 cebola grande ralada
  • 2 dentes de alho grandes espremidos
  • 1 maço grande de hortelã bem picadinho
  • 1 xícara de castanhas picadas (nozes, castanha do Pará)
  • 1 colher de sopa de tempero sírio**
  • 1 colher de sopa de sal
  • Azeite de oliva



Modo de preparo:


Após hidratar o trigo, como já expliquei na receita da SALADA DE TRIGO, junte todos os ingredientes em uma tigela e misture bem.

*Dica sobre os temperos: Eles devem ficar muito bem picados. Eu uso um mixer com copo processador e moedor, você pode colocar no multiprocessador, liquidificador ou em qualquer picador de temperos. Cuidado se usar o liquidificador, pois a cebola e o alho impregnam cheiro e gosto nos utensílios...se usar, o ideal é lavar bem logo em seguida e depois jogar água quente. Ninguém gosta de tomar um suco ou vitamina com gosto de cebola, certo?..rs.

Sobre o tempero sírio**, ele é um pó com uma mistura de especiarias que dá o gosto característico da comida árabe. Se você não tiver, pode usar canela em pó, cravo em pó, pimenta, noz moscada...mas um pouco de todos juntos!*

Será necessário usar as mãos para que a massa fique bem ligada. Quando der para fazer uma bola é porque já deu liga. Prove o sal, se achar necessário, coloque mais um pouco.

Para fazer frito, você pode dar o formato de quibe do tamanho que lhe agradar, só não esqueça que se for muito grande, pode ficar cru no meio. Fritar em bastante óleo quente, até ficar escurinho.

Como eu não faço fritura aqui em casa, não tenho fotos de como eles ficam fritos.

Para fazer assado, com ou sem recheio:
Unte um refratário (sugestão de forma retangular de 32cm X 20cm com 4 cm de altura) com um pouco de azeite e coloque a massa de quibe, apertando só um pouco e alisando.

Se for rechear, coloque metade da massa no refratário, espalhe o recheio (coalhada síria, catupiry ou cream cheese) e depois, cubra com o restante do quibe. Alise com uma colher e desenhe com a faca fazendo cortes não muito profundos.

Pincele azeite por cima e coloque para assar em forno bem quente, por uns 20 a 30 minutos.


segunda-feira, 12 de agosto de 2013

MANJAR DE LARANJA COM CALDA DE VINHO


Esta receita eu fui “buscar” lá no Rio Grande do Sul, pois meu marido que é gaúcho estava saudoso deste sabor de infância.

Ele diz que uma das avós preparava este doce, e ele só não comia inteiro porque não deixavam..rs.

Apesar de ele ter gostado deste que eu preparei, segundo ele o doce de laranja era um pouco diferente.

Chegamos a conclusão que, o que ele se lembra, não levava o leite desta receita, sendo só um creme. Ele disse que o gosto de laranja era mais acentuado, mas isso eu já comentei aqui no blog, na postagem com a receita do BOLO DE LARANJA, onde falei que as laranjas hoje em dia não têm mais o mesmo sabor e acides de antigamente.





Quanto a calda de vinho, ele disse que ficou igual.


Em uma próxima tentativa, farei sem o leite e vou postar aqui o resultado. Por hora, ficamos com este manjar que ficou muito saboroso.





Ingredientes do manjar:

  • 1 copo de água
  • 1 copo de leite
  • 2 copo de suco de laranja
  • 1 copo de açúcar
  • 4 colheres de sopa bem cheias de amido de milho


Modo de preparo:

Coloque todos os ingredientes em uma panela (veja a dica sobre panelas clicando AQUI, ou na barra de índice em "Dicas"). Misture bem para dissolver o amido de milho e leve ao fogo médio.

Mexendo sempre, cozinhe até engrossar e então despeje em uma forma umedecida, ou com antiaderente (sugestão de forma com furo no meio de 24 cm de diâmetro com 5 cm de altura). Espere esfriar e leve a geladeira.

Depois que estiver bem firme, desgrude da forma as beiradas do doce e vire no prato onde será servido.



Ingredientes da calda de vinho:

  • 1 ½  copos de vinho tinto
  • 1 copo de açúcar
  • 1 colher de sopa bem cheia de amido de milho


Modo de preparo:


Em uma panela, misture todos os ingredientes (dissolvendo bem o amido de milho) e leve ao fogo para engrossar. A calda não ficará grossa como o doce de laranja, e irá ferver um pouco.

Antes de colocar sobre o doce de laranja, ou no pote onde irá servir (eu sugiro que deixe um pouco de calda a parte em um pote, para quem quiser se servir de mais), coloque a panela em uma bacia com água e gelo, e mexa até ficar frio. Isso irá evitar que se forme aquela película mais grossinha por cima e a calda ficará com um aspecto mais brilhante.

Você pode servir o doce com a calda em um pote a parte, para as pessoas se servirem a vontade no próprio prato (já que tem pessoas que talvez não gostem da calda de vinho).

E outra sugestão, é colocar um pouco de calda no centro, e a outra parte no pote com uma concha.


Se você sabe que todos gostam da calda de vinho, pode despejar por cima de todo o doce, que o contraste do amarelo com o vinho fica muito bonito.



quarta-feira, 7 de agosto de 2013

AMOR EM PEDAÇOS – receita original


Mais um doce com gostinho de infância.

Esta receita é antiga e nem sei como veio parar nas minhas mãos, já que não lembro onde foi que provei, nem de minha mãe fazer.

Sei que comi pela primeira vez quando era criança e me apaixonei!

Já vi várias receitas com esse nome, algumas até se parecem com bolo recheado de abacaxi...mas nenhuma delas é o legítimo AMOR EM PEDAÇOS.

O verdadeiro, tem massa amanteigada, massa macia de torta, como massa de biscoito, alfajor...Sabe como é? 

Por cima tem aquele brilho tipo verniz, que a gema de ovo dá, e o recheio de abacaxi sempre fica no meio.

O ideal é que o abacaxi seja bem ácido, e o coco fresco, mas se não for possível, pode fazer com o de pacote que também dá certo.



Ingredientes:

Recheio:


  • 1 abacaxi grande picado (2 ½ a 3 xícaras)
  • 2 xícaras de água
  • 2 ½ xícaras de açúcar (se o abacaxi for mais ácido, coloque 3)
  • 100 g de coco ralado
  • 4 gemas


Massa:

  • 3 xícaras de farinha de trigo
  • 3 colheres de açúcar
  • 1 xícara de margarina gelada
  • 2 ovos inteiros
  • 1/2 colher de fermento em pó
  • 1 gema para pincelar



Modo de preparo:

Recheio:


No liquidificador, bata um pouco o abacaxi com a água. 

Atenção: Não é para virar um suco! É só para deixar mais “picado”. Esse processo também pode ser feito diretamente na panela com o auxílio de um mixer.

Misture essa “pasta” de abacaxi com os outros ingredientes em uma panela (veja a dica sobre panelas clicando AQUI, ou na barra de índice em "Dicas"), e leve para o fogo, mexendo sempre até aparecer o fundo e ficar dourado.

Reserve.


Massa:


*Preciso pedir desculpas pela falta das fotos do processo/montagem, pois minha máquina ficou sem bateria.*

Em uma tigela, misture a farinha, o açúcar e o fermento. Juntar os ovos batidos e a margarina, misturando bem sem amassar (talvez você terá que usar as mãos).

Unte uma assadeira de 32 cm X 22 cm, e abra metade da massa diretamente sobre ela, deixando com a altura de menos de 1 cm.

Espalhe o recheio.

Abra a outra metade da massa e coloque sobre o recheio.

Você pode fazer desenhos com um garfo, riscos com uma faca ou com moldes tipo coração ou estrela.

Por cima de tudo pincele a gema de ovo, e depois leve ao forno pré aquecido a 240° por mais ou menos 30 minutos até ficar bem dourado.

Corte em quadrados e arrume em um prato.


Está pronto o seu AMOR EM PEDAÇOS.