segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

TORTA DE NOZES E DOCE DE DAMASCOS

Esta torta é a cara das festas de Natal e Ano Novo, mas aqui em casa eu preparo várias vezes ao longo do ano, pois é uma das preferidas do pessoal daqui.

Você irá utilizar uma receita da MASSA BÁSICA PARA TORTA DOCE (você pode ver a receita clicando AQUI, ou na aba de índice em “Receitas Doces”), meia receita do DOCE DE DAMASCOS para cobertura (você pode ver a receita clicando AQUI, ou na aba de índice em “Receitas Doces”) e para o recheio a receita do doce de nozes que vou passar:

Ingredientes:

  • 2 xícaras de nozes moídas
  • 1 lata de leite condensado
  • 1 caixa de creme de leite
  • 1 colher cheia de amido de milho
  • 3 colheres cheias de achocolatado
  • Gostas de essência de nozes ou amêndoas (opcional, mais ou menos 10 gotas)

Modo de preparo: 

Em uma panela (veja a dica sobre panelas em: “PANELAS E OUTROS UTENSÍLIOS: Não arrisque!Separe uma só para fazer seus doces!” ou na aba de índice em “Dicas”), coloque todos os ingredientes e misture bem.

*Para facilitar, e não correr o risco de empelotar, dissolva antes o amido de milho no creme de leite.*

Leve tudo ao fogo, mexendo sempre para não queimar ou grudar no fundo.


Quando estiver no ponto igual de brigadeiro, despeje sobre a massa de torta que já deve estar assada.

Alise um pouco e coloque por cima o DOCE DE DAMASCOS.

Não é necessário gelar, mas só sirva quando estiver frio.

 



DOCE DE DAMASCO


Este doce é como uma geleia e pode ser usado para recheio de bolos, tortas, para comer com torradas, com queijo...até puro se preferir.

O gostinho azedo adocicado do damasco combina maravilhosamente com chocolate e também com castanhas.

Uma sugestão é a TORTA DE NOZES E DOCE DE DAMASCO (que você pode ver a receita clicando AQUI ou na aba de índice em “Receitas Doces”).
TORTA DE NOZES E DOCE DE DAMASCO
O doce pode ser feito com damascos triturados, que ficará como uma geleia lisa, também pode ser feito com os damascos inteiros, e assim ficará como damascos em calda e pode ser feito da maneira como vou passar aqui, com uma parte triturada e outra deles inteiros.


Ingredientes:

  • 400 grs de damascos secos
  • 2 xícaras de açúcar
  • 3 xícaras de água


Modo de preparo:

No liquidificador, bata metade dos damascos com a água.

Despeje em uma panela (veja a dica sobre panelas em: “PANELAS E OUTROS UTENSÍLIOS: Não arrisque! Separe uma só para fazer seus doces!” ou na aba de índice em “Dicas”), acrescente o açúcar, os damascos inteiros e leve ao fogo, mexendo para não grudar no fundo.

Deixe ferver por um tempo. A água irá evaporar e o doce ficará mais grosso e cremoso.
*Dica: Os damascos inteiros você pode repartir em metades como na foto.*





sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

CREME DE PAPAIA COM CASSIS


Três ingredientes que, um dia alguém teve a brilhante idéia de juntar e fazer essa deliciosa e refrescante sobremesa.

Atualmente ela é relativamente popular, mas teve seus dias de gloria e exclusividade em restaurantes luxuosos por volta do final da década de 80.

Quem teve a feliz idéia de juntar esses ingredientes (simples até!), eu não sei (se alguém souber, pode me falar, ok?)...mas imagino que seja algum “iluminado” chef de cozinha de algum restaurante famoso da época, com resultado fantástico!

Sei que foi inventada aqui no Brasil, mas o crédito da criação pode ter sido de algum chef estrangeiro que estava trabalhando por aqui, certo?

O engraçado é que as pessoas não entendiam a simplicidade da receita, achando que havia algum segredo não revelado. Afinal, parece que existe uma regra de que receitas criadas por grandes chefs tem que ser complicadas e caras.

Isso mesmo! Os ingredientes não são caros e o fato é que hoje em dia podemos saborear essa delícia em casa mesmo.

A base é o mamão papaia batido com sorvete de creme, com um toque de licor de cassis (para as crianças ou quem não quer ingerir álcool, a dica é substituir por xarope de groselha).

O importante é que o papaia esteja bem maduro e saboroso, além do sorvete de creme ser de boa qualidade.


Ingredientes:

*as proporções podem variar de acordo com seu gosto. Coloco aqui a minha sugestão para UMA PORÇÃO, você pode dobrar ou triplicar conforme a necessidade*

  • 1/2 mamão papaia (sem casca e sementes)
  • 2 bolas de sorvete de creme
  • 1 cálice (1 xícara de café) de licor de cassis (ou xarope de groselha, como já deixei a dica)


Modo de preparo:

No liquidificador coloque para bater o papaia com o sorvete de creme. A dica é usar a função “pulsar” até o sorvete desmanchar um pouco. (Caso seu liquidificador não tenha esta tecla, aperte o liga/desliga várias vezes que o resultado será o mesmo).

Quando a mistura estiver lisa, despeje em uma tigela ou taça e então coloque o licor de cassis. A maior parte dele irá para o fundo da taça (como na foto).


Está pronto! Sirva imediatamente...e delicie-se.





sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

RABANADA ASSADA


Bem...como prometi, aqui temos a versão menos calórica dessa delícia natalina (que pode ser feita o ano todo, não só na época do Natal).

O processo é quase todo o mesmo da RABANADA tradicional (que você pode ver a receita clicando AQUI, ou em Receitas Doces na aba de índice).

Se servir ainda quente estará bem crocante como se fosse frita, mas fria também é deliciosa.

Os ingredientes são os mesmos da tradicional.



Ingredientes:


  • Pão amanhecido (cortado em fatias de +/- 2 cm)
  • 1 copo de leite
  • 2 colheres cheias de açúcar
  • 1 ovo batido
  • Açúcar e canela para polvilhar


Modo de preparo:


Siga as primeiras etapas de preparo da receita tradicional (veja as fotos do passo a passo na página da RABANADA tradicional).

Corte as fatias do pão.

Em um prato fundo, coloque o leite e o açúcar. Mexa até dissolver.

Em outro prato fundo, bata o ovo como para omelete.

Passe a fatia de pão no leite com açúcar e deixe absorver bem, mas sem ficar muito encharcado, caso contrário o pão irá desmanchar.

Com a ajuda de um garfo, transfira o pão para o outro prato, e passe a fatia no ovo batido virando dos dois lados, em um processo rápido para não deixar absorver demais.

Arrume as fatias em um refratário. Eu gosto de untar levemente, mas se for anti aderente não será necessário.

*Dica: se sobrar leite (desde que não seja muito) você pode colocar colheradas sobre as fatias já na travessa, assim como o ovo.*

Polvilhe açúcar e canela por cima das fatias (você também pode deixar algumas sem canela, pois existem pessoas que não gostam).

Leve ao forno quente por mais ou menos 15 minutos (vai depender do seu forno). Elas irão estufar um pouco e quando estiverem douradas estarão prontas.


Ficam crocantes por fora e úmidas e macias por dentro.


segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

RABANADA


Todo mundo conhece Rabanada como uma receita típica para as festas Natalinas.

Mas não precisamos esperar só esta época do ano para saborear essa delícia, até mesmo porque, é uma receita ótima para aproveitamento de pão adormecido (ou amanhecido..rs) e isso temos o ano todo, certo?

Fiz aqui um “passo a passo”, veja como é fácil.


Ingredientes:

*As quantidades a seguir são para 8 fatias em média*

  • Pão amanhecido (cortado em fatias de +/- 2 cm)
  • 1 copo de leite
  • 2 colheres cheias de açúcar
  • 1 ovo batido
  • Óleo para fritar
  • Açúcar e canela para polvilhar


Modo de preparo:

Corte as fatias do pão.

Em um prato fundo, coloque o leite e o açúcar. Mexa até dissolver.

Em outro prato fundo, bata o ovo como para omelete.

Passe a fatia de pão no leite com açúcar e deixe absorver bem, mas sem ficar muito encharcado, caso contrário o pão irá desmanchar.

Com a ajuda de um garfo, transfira o pão para o outro prato, e passe a fatia no ovo batido virando dos dois lados, em um processo rápido para não deixar absorver demais.

Você pode ir colocando as fatias em um prato enquanto realiza esse processo com todas elas, ou já pode colocar direto na frigideira com o óleo quente.

Frite um pouco de um lado e vire para fritar do outro. Quando as fatias estiverem bem douradas, retire e coloque em um prato com papel absorvente.

Polvilhe sobre as fatias ainda quentes, um pouco de açúcar e canela em pó a seu gosto.

Eu, particularmente, prefiro comer enquanto ainda estão quentinhas, pois elas ficam com uma casquinha crocante, mas quando estão frias e murchas também são deliciosas.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

BANANADA (DOCE DE BANANA) COM NOZES E PASSAS


Fazer uma bananada é a melhor opção para aproveitar aquelas bananas que já estão maduras demais e ninguém quer comer “in natura”.

E para fugir um pouco daquele doce tradicional, só com bananas e açúcar, você pode variar acrescentando nozes e uvas passas como nesta receita.

Lembrando que não é necessária exatidão nas medidas. Eu vou colocar aqui uma sugestão, ok?


Ingredientes:

  • 6 bananas bem maduras (as bananas do tipo nanica são as melhores)
  • 3 a 4 colheres de açúcar
  • 1 colher de achocolatado
  • 2 colheres de vinagre de maçã OU 1 colher de suco de limão
  • 3/4 de xícara de nozes picadas
  • 3/4 de xícara de uvas passas sem caroço


Modo de preparo:

Descasque as bananas e amasse com um garfo.

Coloque em uma panela junto com o açúcar e leve ao fogo, mexendo sempre.

As bananas ficarão moles e surgirá uma calda. Acrescente o achocolatado, o vinagre (ou suco de limão) e mexa sempre para não grudar e queimar no fundo.

Quando apurar um pouco, acrescente as nozes, as passas e deixe mais um pouco no fogo para endurecer mais, se você quiser que fique como o da foto, caso queira mais mole, retire do fogo antes.

Coloque em uma travessa e sirva com queijo branco, com requeijão, creme de leite ou puro mesmo.

Esse doce é também uma bela sugestão de recheio para bombons. Você pode fazer bolinhas e banhar no chocolate derretido.




sexta-feira, 22 de novembro de 2013

BRIGADEIRO (tradicional)


Receita de brigadeiro não é nenhuma novidade, ainda mais depois da explosão das lojas especializadas e dos brigadeiros gourmet.

Daí você diz: “Ela vai dar uma receita de brigadeiro? Mas todo mundo sabe fazer brigadeiro!”

E eu digo: “Apesar da popularidade deste doce, por incrível que pareça, ainda existe quem não tem uma receita e não sabe fazer brigadeiro! Bom...afinal, ninguém nasce sabendo tudo e brigadeiro também tem a hora para aprender..rsrs”

Como curiosidade, aqui no blog temos a HISTÓRIA DO BRIGADEIRO, um doce brasileiro que está ganhando o mundo! Se quiser ver, clique AQUI, ou na aba de índice em “Curiosidades”.



Ingredientes:

  • 1 lata de leite condensado
  • 2 colheres cheias de chocolate em pó
  • 1 colher de manteiga ou margarina
  • Chocolate granulado para enrolar


Modo de preparo:


Em uma panela, de preferencia com antiaderente, coloque o leite condensado, o chocolate, a margarina e misture bem.

Leve ao fogo médio/baixo e mexa o tempo todo, em todas as direções passando a espátula nas beiradas, mas sem esfregar muito para não levantar alguma parte que tenha queimado.

O ponto do doce, ideal para enrolar, é quando você está mexendo e o fundo da panela começa a aparecer (assim como nesta foto do preparo do brigadeiro branco**), com “bolhinhas” grudadas na panela. Se você cozinhar demais, ele ficará duro, difícil de enrolar e na hora de comer parece mais uma bala.

**(Eu coloquei a sequencia de fotos do brigadeiro branco, para aparecer melhor as tais “bolhinhas”, pois com a panela escura, o brigadeiro escuro não aparece bem na foto.)





Despeje em um prato untado com margarina e deixe esfriar bem antes de enrolar.

Se o ponto ficou um pouco mole mesmo depois de frio, coloque na geladeira para endurecer um pouco mais e facilitar fazer as bolinhas.

E para enrolar o doce, passe um pouco de margarina na palma das mãos, e com uma colher, pegue um pouco do doce e faça a bolinha, jogando em um prato que já deve ter o chocolate granulado.
Brigadeiro mordido...porque ninguém é de ferro..rsrs

Passe toda bolinha no granulado, e coloque em forminhas próprias para docinhos.


Você também pode passar em bolinhas crocantes, que seus docinhos ficarão como os da foto.




sexta-feira, 15 de novembro de 2013

BRIGADEIRO BRANCO


O brigadeiro mais famoso é o escuro, com chocolate na receita**.

No caso deste brigadeiro (o branco), ele tem gosto de chocolate branco, mas esse ingrediente não é usado na receita.

Na verdade, o gosto de chocolate branco depende muito do tipo (marca) de granulado usado para enrolar.

Procuro evitar escrever o nome das marcas dos produtos que uso, mas existe uma que faz o granulado branco “macio” e é o que fica mais gostoso.

Acho que qualquer granulado macio é melhor que outro, seja a cor que for. Experimente as marcas e escolha a que mais lhe agradar.

**(Se tiver curiosidade de saber a HISTÓRIA DO BRIGADEIRO (o doce), clique AQUI, ou na aba de índice em “Curiosidades”.)
E vamos à receita.



Ingredientes:

  • 1 lata de leite condensado
  • 1 gema
  • 1 colher de margarina
  • Granulado branco (preferencialmente o macio)


Modo de preparo:


Em uma panela (preferencialmente com antiaderente), coloque o leite condensado, a gema, a margarina e misture bem.

Leve ao fogo médio/baixo e mexa o tempo todo, em todas as direções passando a espátula nas beiradas, mas sem esfregar muito para não levantar alguma parte que tenha queimado.

Veja a sequencia:





O ponto do doce, ideal para enrolar, é quando você está mexendo e o fundo da panela começa a aparecer, assim como na foto, com “bolhinhas” grudadas na panela. Se você cozinhar demais, ele ficará duro, difícil de enrolar e na hora de comer parece mais uma bala.

Despeje em um prato untado com margarina e deixe esfriar bem antes de enrolar.
PRATO UNTADO

Se o ponto ficou um pouco mole mesmo depois de frio, coloque na geladeira para endurecer um pouco mais e facilitar fazer as bolinhas.

E para enrolar o doce, passe um pouco de margarina na palma das mãos, e com uma colher, pegue um pouco do doce e faça a bolinha, jogando em um prato que já deve ter o chocolate granulado branco.

(brigadeiro mordido..rs...porque ninguém é de ferro..rs)

Passe toda bolinha no granulado, e coloque em forminhas próprias para docinhos.




quinta-feira, 14 de novembro de 2013

HISTÓRIA DO BRIGADEIRO (o doce)


A data exata, como foi inventado este doce e quem teve a feliz ideia de juntar leite e açúcar (ou usar uma lata de leite condensado), ovos, chocolate...não há como saber.

Nem se quer o nome primitivo, original. O nome que a criadora do doce o chamava, antes dele ficar conhecido somente por BRIGADEIRO...não há como saber.

Mas, relativo ao nome “brigadeiro”, existem algumas histórias, todas envolvendo o nome do Brigadeiro Eduardo Gomes.

Aqui, abro um parêntese para lembrar, ou melhor, explicar para quem não sabe (pois principalmente entre os mais jovens, há os que pensem que brigadeiro é simplesmente O DOCE), que a palavra BRIGADEIRO é uma patente da aeronáutica, e que o doce acabou sendo conhecido por esse nome, por conta de festas realizadas para promover a candidatura do Brigadeiro Eduardo Gomes para a presidência da República.

Ele foi candidato a primeira vez em 1945, e como era bonito e...solteiro..rsrs...acabou conquistando uma legião de mulheres, e muitas delas ajudavam na campanha, fazendo esses docinhos e vendendo para arrecadar fundos.

Da frase “Docinho do Brigadeiro Eduardo Gomes” para reduzir e ficar só “brigadeiro” foi um pulo.

Ele acabou em 2º lugar nessas eleições. E se o brigadeiro “homem” seria um bom presidente, nunca saberemos, pois em 1950 também foi candidato derrotado.

Mas uma coisa é certa: O brigadeiro “doce”, genuinamente brasileiro, após essa mobilização, ficou popularizado em todo o Brasil. É uma unanimidade nas festas, e agrada a todos, não só as crianças, e hoje em dia já está ficando conhecido pelo mundo todo!

















*Aqui faço um agradecimento a Nestle, pois tenho um livro de receitas que ganhei em uma promoção realizada no começo da década de 90, e foi este o meu grande inspirador, pois algumas receitas têm como introdução, histórias curiosas e gostosas de ler.